TESTE – Adidas Energy Boost

Tivemos oportunidade de testar os ténis de corrida mais falados dos últimos meses. E não ficámos desiludidos...

Custou, mas foi. Finalmente tivemos oportunidade de testar os novos Adidas Energy Boost, os ténis que prometem revolucionar os ténis de corrida ao introduzirem uma nova tecnologia de espuma nas solas, a Boost, que veio assim substituir a “velhinha” Eva, que constitui a base da maior parte dos ténis desportivos.
O teste não foi fácil, devemos sublinhar, nem curto. Os Energy Boost são uns ténis que requerem adaptação, mas assim que estão adaptados aos pés não desiludem.
PRIMEIRAS IMPRESSÕES
A expectativa criada pela Adidas em redor destes ténis causou grande sensação entre os amantes da corrida. Mais amortecimento e um retorno de energia, era o que prometia a marca alemã. No entanto, à primeira vista, o sapato parece tão normal como qualquer outro. A grande diferença está, claro, na sola que em vez de ser lisa é às bolas. O mais semelhante a isto é um pedaço de esferovite. Ao tacto confirmamos que a nova espuma da sola é macia, mas como ficará no pé?
Logo ao experimentar, confirmamos que os Energy Boost não são uns ténis fáceis. O revestimento superior é bastante justo e prepara-se para calçar dois ou três números acima ao seu calçado habitual. Nos, por cá, saltámos de um 40 para um 42. E não teríamos ficam mal com um 43…
Porém, ultrapassada essa questão, notamos de imediato a leveza do sapato e o conforto que a sola proporciona. Nem é preciso correr. Basta estar de pé e dar uns pequenos passos para sentirmos o chão mais suave que o habitual. Vamos então ao teste final, a corrida!
PERFOMANCE
Já avisámos que os Energy Boost não são uns ténis fáceis, não já? Sublinhamos esse aspecto, principalmente quando se começa a correr. Sim, nota-se uma suavidade diferente na sola, mas também se nota que é um sapato mais apertado do que estávamos habituados. A malha superior ajusta-se ao pé como licra e aperta-o. Ao início isso não é bom e no final dos primeiros treinos ficámos com os pés doridos. Na verdade essa sensação só passou ao fim de uns 40 quilómetros de treino, pelo que só por essa altura começámos a desfrutar verdadeiramente da bandeira da Adidas para estes ténis, a tecnologia Boost!
Foi já com cerca de 50 quilómetros nos ténis que começamos a ter prazer com estes ténis nos pés. Confortáveis, leves, macios e com um… boost! Sim, é verdade. A tecnologia parece funcionar mesmo. Assim que batemos com o pé no chão há uma pequena força que nos impulsiona o calcanhar, depois o meio de pé e no final os dedos. Tudo num movimento simples e leve. Tão leve que quase nem damos por ele, mas ao final de 10 quilómetros de treino isso faz muita diferença na passada e no ritmo imposto na corrida. Levantar o pé do chão parece que não custa.
VEREDICTO
 
Face à expectativa criada, não podemos dizer que a Adidas defraudou quem quer que fosse. Os Energy Boost proporcionam realmente uma energia extra ao corredor. Se esta tecnologia veio para ficar e se vai mesmo revolucionar a corrida, só o tempo o dirá, mas para já o futuro é risonho.
Avisamos já que é preciso ter cuidado na escolha dos ténis. Experimente-os com calma e cuidado. Nada de encomendar ténis via internet sem antes ter bem a certeza do número pretendido. Estes Adidas podem ser traiçoeiros nesse aspecto. É também preciso alguns treinos para uma adaptação conveniente ao formato da malha superior, por isso não considere usá-los em provas nos primeiros tempos.
Mas passada essa fase de adaptação não temos, sinceramente, nada de mau a apontar aos ténis. São leves, confortáveis, macios e, claro, proporcionam a tal energia extra.
Cinco valores para os Adidas Energy Boost, sem dúvida.

 

Comentar

comentários

Leave a comment

Your email address will not be published.


*