TESTE – Ego Action Cam

Há mais um concorrente no cada vez mais agressivo mercado das câmaras desportivas
Experimentámos a nova EGO e podemos dizer que veio para ficar

As cores e o formato podem fazer parecer esta câmara com um brinquedo pouco fiável, mas em termos de qualidade a EGO, da Liquid Image, em nada fica a dever às restantes concorrentes do mercado das câmaras de acção. Pequena, leve, com HD e 12 megapixéis de resolução para fotografia, a EGO tem tudo o que precisa para registar os melhores momentos desportivos da sua vida.

PRIMEIRAS IMPRESSÕES
 
Quem já viu outras câmaras de acção habituou-se à imagem de resistência de vários modelos. De facto, à primeira vista, a EGO não parece ser nada resistente. Mas é. Com um corpo à prova de choque e de salpicos – não totalmente à prova de água – está pronta para todo o tipo de aventuras.
No exterior não há muito para ver. À frente está apenas o microfone e a luz de funcionamente, que muda de cor conforme o modo seleccionado. No topo apenas dois botões, o de ON/OFF, que serve também para saltar de modos 720p – 1080p – Foto Símples – Foto Contínua, enquanto o outro serve para colocar efectivamente a câmara a trabalhar. De lado estão as ligações aos periféricos, com mini USB, mini HDMI e também a entrada para cartão microSD, até 32 GB. Nada de muito complicado.
Luz frontal indica modo de câmara activo
Vídeo 720p / Vídeo 1080p / Foto Simples / Foto Contínua
É no conteúdo da caixa que temos a primeira desilusão. A EGO traz apenas uma base para fixar a câmara, e uma base simples, plana, que dá poucas opções para a utilizarmos. Felizmente há uma vasta gama de acessórios extra, com outro tipo de bases, caixas estanques, suportes para bicicletas ou para levar a máquina ao peito.
Na caixa está também uma “tampa” frontal, de plástico, que vai proteger a lente e máquina de poeiras ou pequenas pedras que saltem durante um passeio, por exemplo, de btt. É alguma coisa, é verdade, mas certamente a maioria dos utilizadores preferira, logo à partida, a caixa estanque como acessório na caixa de origem.
FUNCIONAMENTO
Quando se liga a câmara verificamos que não temos qualquer acesso às definições da mesma. Na verdade, só temos acesso a partir da máquina à selecção dos modos de vídeo/fotografia. Para aceder a outras definições é preciso usar uma ferramenta preciosa da EGO, o WiFi, e ligá-la a um tablet ou smartphone, mas apenas se tiver software iOS ou Android. A partir daí tudo se vai tornar mais fácil.
É através desta funcionalidade que a pequena EGO se torna numa verdadeira máquina de filmar e fotografar. Através das aplicações acedemos a tudo, desde a resolução da imagem e da fotografia, selecção de cores e contrastes, microfone, etc. Podemos também ligar um livefeed e vermos no tablet ou smartphone exactamente o que a câmara está a “ver”. Esta funcionalidade torna-se particularmente útil na altura de a instalar num capacete, por exemplo, conseguindo ver no momento se a câmara vai captar exactamente aquilo que quer. Também através do WiFi disponibilizado pela EGO podemos ter acesso de imediato aos filmes e às fotografias que fizemos e vê-los no ecrã do nosso telemóvel ou tablet.
Só faltava mesmo sair para o terreno e conferir as qualidades da máquina. Montámos a EGO numa bicicleta de BTT e fomos para o mato com ela para estudar as variações de luz solar / sombra e para ver como ela se portava com isso. A qualidade de imagem não nos desiludiu. A definição é exactamente o que esperávamos e até com a pouca estabilidade inerente ao BTT, o foco manteve-se sempre estável.
No entanto há algumas coisas que tornam a EGO pouco prática. Para começar o pequeno ecrã e os pequenos símbolos que apresenta que, por vezes, tornam difícil ver o que está por lá. A luz frontal ajuda nesse campo, mas nem sempre é possível olhar para ela. Mas o pior nem é isso, mas sim o facto da câmara não memorizar a última definição por nós escolhida quando entra em modo stand-by, após alguns minutos de inactividade. Assim se estiver a filmar em modo 1080p, quando reactivar a EGO terá de se lembrar de recolocar a câmara nesse modo, caso contrário vai estar a filmar em 720p. De resto porta-se muito bem e nem a bateria desilude, podendo durar perto de 3 horas.
Confira no nosso vídeo a qualidade de imagem da EGO

VEREDICTO
 
Com um preço de 179 euros, a EGO é, sem dúvida, uma boa opção para quem quer comprar uma câmara de vídeo desportiva e ter uma boa qualidade de imagem. Nisso esta câmara não vai falhar. Além disso é leve, pequena e, já agora, bonita, havendo várias cores disponíveis.
Contudo há algumas falhas. Apesar de haver um vasto leque de acessórios disponíveis para compra, não ficava mal haver pelo menos mais bases disponíveis para montar a câmara. A caixa estanque seria a cereja em cima do bolo. A ligação por WiFi a aplicações iOS e Android é uma funcionalidade muito interessante, mas se não tiver smartphone ou tablet com este software não vai poder aceder à grande maioria de funcionalidades da câmara. Mas a maior falha, na nossa opinião de utilizadores, é mesmo a alternancia de modos de gravação após o stand-by.

Trouxesse a EGO mais alguns acessórios de origem e não perdesse o modo de gravação e teria a nossa nota máxima. Assim damos-lhe 4 estrelas.

Comentar

comentários

Leave a comment

Your email address will not be published.


*