TESTE: Garmin Forerunner 210

O novo FR 220 já está no mercado, mas o irmão mais velho ainda é uma excelente opção para quem procura um bom parceiro para os treinos de corrida.

O lado positivo de surgirem novas versões de relógios corrida no mercado, é que as versões mais antigas tendem a ficar bem mais baratas. E, convenhamos, continuam a dar bem conta do recado. É o caso do “velhinho” Forerunner 210, da Garmin, que fica quase 100€ mais barato que o seu sucessor. Confira no nosso teste todas as qualidades do FR210.
PRIMEIRAS IMPRESSÕES

A coisa boa dos relógios da Garmin é que raramente enganam. São exactamente aquilo que o utilizador procura e o FR210 não é excepção. Com um tamanho razoável, são confortáveis no pulso e têm um ecrã com um tamanho muito simpático. Têm os botões laterais tão tradicionais nos relógios desportivos, o que deixa antever um manuseamento fácil. E não engana. Com um toque simples acede-se ao menu que nos mostra todas as opções do relógio. Perfil do utilizador, idioma, unidades, tipos de treino, configuração de acessórios, está tudo ali disponível, sem ser necessário uma grande procura. A configuração do cinto de batimento cardíaco e do pedómetro é feita em poucos segundos e depressa estamos prontos a sair para a rua.
Com o relógio bem o cabo de ligação USB que serve para carregar para o computador os exercícios realizados, e também para carregar o aparelho, seja directamente através da ficha USB ou de um transformador fornecido, que facilita o carregamento através de uma qualquer tomada lá de casa.

PERFOMANCE

Já se sabe que a primeira coisa notada num relógio de corrida com GPS é o tempo que demora a apanhar sinal de satélite. O FR210 tem um tempo aceitável. Com tempo limpo são apenas alguns segundos, quase sempre menos de 30. Já com o céu coberto os segundos podem transformar-se em um ou dois minutos. Nada de desesperante, mas certamente uma daquelas funcionalidades que o irmão mais novo, o 220, já trará melhorada.

Quando se começa a correr o relógio é a fiabilidade no pulso. Dá todas as informações necessárias, distância, tempo, velocidade instantânea e batimento cardíaco. Conforme as opções seleccionadas pode dar a velocidade média e tempo por voltas. Com a ajuda do pedómetro dá ainda a possibilidade de ser utilizado indoor, algo agradável para quem não gosta de correr à chuva. Mas se gostar, esteja à vontade para levar o FR210 consigo, pois ele resiste bem aos salpicos da chuva. Mas atenção – sim, triatletas, isto é para vocês – este Garmin não é completamente resistente à água, por isso é melhor não o meterem em grandes aventuras aquáticas.
Acabado o treino é altura de carregar o treino e verificar o resultado. O Garmin Connect funciona muito bem e o treino é carregado fácil e rapidamente. O site pode não ser tão bonito e espectacular como alguns dos sites ligados a aplicações de telemóveis, mas em termos de funcionalidades e dados apresentados não terá muitos rivais à altura. Mas se quiser, pode também facilmente carregar os dados do Garmin para esses sites, uma vez que muitos deles já possuem um plugin para os dispositivos Garmin. Quanto aos dados apresentados, eles são muito fiáveis. A distância é bastante exacta e o percurso é muito certo, sem falhas de maior
VEREDICTO
Como dissemos antes os Garmin raramente enganam, e este não engana mesmo. Está longe de ser um relógio topo de gama, mas também já está acima da entrada de gama, sendo uma óptima opção para quem quer um bom parceiro de corrida por um preço razoável. A partir de 150€ já pode levar um Garmin Forerunner 210 para casa e fique sabendo que mesmo não sendo o modelo mais recente no mercado, não deixa de ser uma óptima opção. Cinco estrelas, mesmo!

Comentar

comentários

Leave a comment

Your email address will not be published.


*