TESTE: Nike+ Sportwatch GPS by TomTom

Corremos com o relógio da Nike e da TomTom no pulso e ficámos satisfeitos.
A perfeição está à distância de… um clique!

Quem pensa em tecnologia GPS pensa na marca TomTom. E quem pensa em desporto pensa em Nike. Não é por isso de estranhar que as duas marcas tenham unido forças para criar um relógio para o mercado da corrida. Estranho é, sim, que a TomTom, pioneira na utilização do GPS para o utilizador comum, tenha demorado tanto tempo a entrar no mercado do running, perdendo assim parte do comboio para outras marcas…
Mas mais vale tarde que nunca. O Sportwatch GPS bay TomTom é a solução que a Nike integrou na plataforma online Nike+, que conta com mais de sete milhões de utilizadores. Fomos convidados a experimentar este relógio e fomos fazer uns quilómetros com ele no pulso.
PRIMEIRAS IMPRESSÕES
Há três aspectos essenciais a um relógio de corrida: o tamanho, não pode ser demasiado grande, de forma a que se torne desconfortável no pulso; o ecrã, que tem de ter um bom tamanho, e números grandes, para permitir uma fácil leitura durante o treino ou prova; e a facilidade de utilização. O Sportwatch da Nike corresponde a estes três critérios. Tem um tamanho normal para um relógio… normal. Assenta bem no pulso e a bracelete permite um bom ajuste para que não fique nem demasiado apertado, nem demasiado solto. O ecrã, rectangular, tem uma dimensão simpática e apresenta um bom contraste, havendo duas opções, de fundo branco / letras negras ou fundo negro / letras brancas. Por último restam as teclas. Só há três. Duas de navegação entre os menus e um outra de acção, para confirmar as escolhas e começar ou parar o exercício.
PERFOMANCE

Antes de começar a utilizar o relógio, é importante fazer o download do software de Nike, o Nike+ Connect. É através desta aplicação que vamos ter acesso a algumas das funcionalidades deste aparelho, como a contagem de calorias, através da definição do perfil de utilizador, mas também opções do ecrã e de treino.

O ecrã deste relógio está dividido em duas partes, uma em destaque e um outra, no topo, com informação acessória. A diferença é que uma é fixa e a outra não. Ou seja, através da aplicação no computador podemos escolher o que queremos ver em destaque, se a distância percorrida, o tempo, a velocidade, etc. Seja o que escolhermos ficará assim durante o treino. Quanto à parte superior do ecrã rodará segundo a nossa vontade, ou através de um scan automático, ou através dos botões de navegação. Todas as informações estão disponíveis sempre que o atleta quiser.
As opções de treino também estão disponíveis através desta aplicação, seja a definição do tamanho das voltas, a uma pista ou um circuito pré-definido, por exemplo, ou na escolha das séries que pretende fazer. Aqui reside, porém, um dos defeitos desta combinação aplicação e relógio. No Sportwatch não podemos alterar estes parâmetros mais tarde, se assim o desejarmos. No relógio só temos a opção de ligar as Voltas ou os Intervalos, mas depois funcionará conforme as escolhas prévias. Ou seja, se sairmos de casa com um treino definido em 3 minutos de corrida e 1 de descanso, e depois quisermos mudar o treino para 5 minutos de corrida e 2 de descanso, não o vamos conseguir fazer.
Configurado relógio, é altura de calçar os ténis e ir para a rua ver como ele se comporta. O primeiro teste acontecerá ainda parado, na captação de sinal GPS.
O ideal será o relógio captar o sinal quase de imediato ou, na pior das hipóteses, demorar apenas o tempo que cada atleta demora a fazer uns exercícios de aquecimento antes de iniciar o treino. Tivemos de tudo, desde apenas 10 segundos a obter sinal, até cinco minutos. As condições do tempo pareciam ter um pouco de influência, com o relógio a ter mais facilidade a obter sinal com céu limpo, uma condição normal nestes aparelhos. Uma vez captado restava começar a corrida.
E aí tudo corria na perfeição. Os dados apresentados eram fiáveis – de referir que corremos com outro aparelho de medição de ritmo e distância para servir de comparação – e nunca apresentou falhas no sinal. A utilização durante o treino era bastante fácil, o ecrã via-se bem, quer com fundo negro quer com fundo branco e todos os números tinham fácil leitura, sendo também fácil a transição entre as opções da divisão superior do ecrã. De referir que este aparelho permite ainda a ligação ao tradicional sensor de pé , o Nike Running Sensor, havendo mesmo um pacote de relógio + sensor. Essa ligação permite a que a  medição seja mais exacto e fiável, não estando apenas dependente da ligação ao satélite.

Terminado o treino, voltamos ao computador para carregar os dados para a aplicação da Nike. Para isso não precisamos sequer de cabos. O relógio traz uma ficha USB integrada na bracelete e basta ligar o relógio directamente ao computador. A aplicação dá-nos depois todos os resultados o nosso treino, distância, ritmo, tempo, etc, e até nos pinta o percurso com cores quentes ou frias, de forma a sabermos onde e quando aumentámos ou diminuímos o ritmo da nossa corrida.
Além disso conseguimos ter noção dos nossos recordes e se batermos algum o Nike+ Connect informa-nos de imediato. Mas há outras utilidades nesta aplicação, como a indicação de zonas “quentes”, algo que nos permite saber onde andam outros utilizadores Nike a treinar. Isto pode revelar-se útil, por exemplo, se formos viajar e quisermos procurar um local para correr junto ao hotel onde vamos ficar.
VEREDICTO
O Nike+ Sportwatch by TomTom correspondeu a todas as expectativas que tínhamos antes de o experimentar. É um bom relógio GPS, é fácil de utilizar, tem opções de treino, é fiável e tem um boa plataforma online de recolha e análise dos dados. Com um preço de 169€, com sensor Nike incluído, ou 149€, sem o sensor, apenas o relógio, está com um preço semelhante a outros relógios de marcas concorrentes com funções idênticas.
Só falta mesmo dizer que a nota máxima está à distância de um clique. O facto de só ser possível definir as opções de treino na aplicação e não no relógio pode dissuadir alguns atletas que gostem de alterar o treino a meio do exercício. Só por isso este relógio foge aos cinco valores, ficando assim com nota 4,5.


            
            

           

Comentar

comentários

Leave a comment

Your email address will not be published.


*