Três erros a evitar numa corrida

Ansiedade, problemas gastro-intestinais e desidratação são os problemas que mais afectam os corredores numa corrida.

Esteve a preparar aquela corrida especial durante semanas, mas depois quando chegou ao momento chave um imprevisto do seu corpo estragou-lhe os planos? Fique a saber que não é o único. Grande parte do pelotão sofre problemas que nada têm a ver com a preparação física, mas que têm tanta ou mais influência no resultado de uma prova. Deixamos algumas dicas para que, da próxima vez, não seja apanhado desprevenido.
 
Ansiedade
Normalmente antes de uma corrida especial – normalmente a primeira participação de sempre, ou uma meia-maratona ou mesmo maratona – o atleta deixa-se dominar por um sentimento entusiasmante. Há excitação a mais e, por vezes, até privação de sono. Tudo junto pode levar a um cansaço anormal logo nos primeiros quilómetros de prova. Há por isso algumas dicas simples a cumprir para evitar que isso aconteça.
  • Pense positivo. Preparou-se bem? Então tudo vai correr bem. Os pensamentos positivos são o primeiro passo para controlar a ansiedade.
  • Pense apenas em si. Abstraia-se do que os outros dizem. Se o colega do lado diz que vai correr mal, ignore-o ou motive-o.
  • Divirta-se. Antes de tudo o mais, o desporto é diversão. O resultado não é o mais importante.
  • Prepare-se. Não deixe para as horas antes da prova a preparação de tudo o que precisa. Trate desses pormenores na véspera e deixe essas últimas horas para o relaxamento.

Problemas Gastro-Intestinais
Um estudo comprovou que quase metade dos corredores – 45% – evidenciam problemas deste tipo durante uma prova, especialmente nas provas longas, acima dos 15 quilómetros. Não há preparação física que supere uma forte dor de barriga. Por isso, há que evitá-la. E os dias antes são os mais importantes.
  • Teste os tempos digestivos. É muito importante conhecer o seu organismo. O que faz abrandar os intestinos ou acelerá-los? Em geral as massas abrandam o processo, pelo que devem ser o alimento escolhido para os dias pré-corrida. Já as saladas são conhecidas por aumentar a velocidade do trânsito intestinal, por isso devem ser eliminadas da alimentação uma semana antes dessa corrida.
  • Café? Sim, mas com tempo. O café aumenta a volatilidade intestinal, por isso se tiver mesmo de tomar um, especialmente nas provas matinais, faça-o com tempo. Já sabe que, por norma, depois de tomar um café o caminho é aquele, não sabe?
  • Teste o menu. Durante os treinos de preparação para uma prova, teste tudo o que vai comer, antes e durante a corrida. Depois crie uma fórmula que resulta para si e cumpra-a como um ritual a cada prova em que participa, de forma a não ter surpresas. E não experimente nada em prova. Uma variação de bebida isotónica ou de gel energético pode ser suficientes para dar a volta ao estômago.

Hidratação
A desidratação é das piores – e mais perigosas – situações que podem afectar um atleta, seja de que modalidade for. Abastecer o corpo de líquidos é fundamental.
  • Abasteça-se. Comece a hidratar-se nos dias antes da prova, mas sem abusar claro. Um bom indicador do estado de hidratação do seu corpo é a cor da urina. Quanto mais clara e transparente, melhor!
  • Reforce os sais. O papel da bebida não é só dar água ao organismo, mas também reabastecê-lo dos sais perdidos com a transpiração. Se a corrida for longa o suficiente, e suar bastante, o corpo pode entrar em hiponatremia, que é uma deficiência de sal no sangue. Os sintomas típicos são tonturas, náuseas e vómitos. Por isso as bebidas isotónicas assumem um papel importante e o ideal será beber uma garrafa antes da prova. Leve-a na mão e vá bebendo aos poucos até 20/30 minutos antes de começar a correr. E, depois, durante a corrida, aproveite os abastecimentos para reabastecer.
  • Taxa de desidratação. Cada corpo perde líquidos a um ritmo próprio. Por isso aproveite as nossas dicas (AQUI) para saber quanto tem de beber durante uma prova.

Comentar

comentários

Leave a comment

Your email address will not be published.


*